Estudo pratico de violão

Antes de iniciarmos o estudo prático do violão, é bom você ter um conhecimento teórico básico sobre música.

O que é a música???

É a arte universal de combinar os sons. É a maneira de se expressar através de melodias. Aliás, a Música é a primeira das sete artes universais. Desde seus primeiros passos, ela se valeu do desejo íntimo dos músicos para exportar as suas faces interiores, como se nela, o homem revelasse seu interior.
Tudo que podemos ouvir são sons; uma buzina, um grito, um trovão, uma madeira sendo arrastada, etc. Quando selecionamos sons de forma harmônica, estamos transformando esses sons em melodia, ou seja, música.

Os sons podem ser divididos em duas categorias:

Sons tonantes: são sons com variação de tonalidade entre grave e agudo, como os produzidos por instrumentos musicais.

Sons não tonantes: são sons que não tem essa variação e produzem sons simples como qualquer barulho.
OBSERVAÇÕES:

a) Embora seja considerado um instrumento musical, a bateria e os instrumentos de percussão não produzem tonalidade. Eles são usados para dar ritmo ? música.

b) A voz humana é considerada o instrumento mais complexo, pois produz sons tonantes ou não.

Notas Musicais

Notas musicais são sons tonantes organizados em uma escala muito conhecida; DÓ, RÉ, MÍ, FÁ, SOL, LÁ e SÍ. Estas são as famosas notas musicais básicas. Executar uma música é, portanto, selecionar estas notas numa melodia.

Para simplificar a nomenclatura, representamos estas notas por letras. Veja abaixo:

tabela01 Curso de Violão Teoria Básica

Clique em cima da imagem para ampliar!

Sustenido e Bemol

Durante muito tempo essas notas musicais eram soberanas. Entretanto, notava-se que havia variação sonora entre algumas dessas notas, até que mais tarde surgiram os MEIO-TONS que preenchem justamente esses espaços, que na verdade, tornar-se-iam notas.
Só que, ao contrário de serem nomeados por outros nomes, esses meio-tons foram chamados de acordo com as notas próximas a eles pela relação sustenido e bemol.

Saibamos primeiro, entre quais notas existem esses meios-tons (aqui representados pelas lacunas):

__? ? A? ? __? ? B? ? ? C? ? __? ? D? ? __? ? E? ? ? F? ? __? ? G? ? __

Portanto entre SÍ e DÓ e MI e FÁ não há meio tom.

Cada espaço desses, que é uma nota, recebe dois nomes pela relação sustenido-bemol:

Sustenido (#) é o nome do meio-tom com relação ? nota que está ? sua frente.

Bemol (b) é o meio-tom posicionado um espaço antes da nota.

Assim, dizemos que o espaço entre as notas C e D tem um meio-tom, portanto, uma nota que recebe dois nomes pela relação sustenido e bemol. Observe como ficará essa nota:

tabela02 Curso de Violão Teoria Básica

Esse meio-tom tem dois nomes; DÓ SUSTENIDO (pois está meio-tom ? frente de C) e RÉ BEMOL (por estar meio-tom antes de D). Assim chamamos esta nota: C# ou Db. O mesmo acontece com todos os meio-tons existentes (A# e Bb, D# e Eb, F# e Gb, G# e Ab). Não são dois meios-tons num espaço só. É um meio-tom em cada espaço e dois nomes para cada meio-tom.

A escala das notas é contínua, ou seja, depois da última nota, volta para a primeira, obedecendo ? seqüência das notas.

Tons e Acordes

ACORDE é uma base harmônica formada por notas para acompanhamento musical. Unindo no mínimo três notas que tenham relação entre si, obteremos um acorde. Se juntarmos, por exemplo, as notas C, E e G teremos então um acorde que, por ocasião será o acorde de DÓ MAIOR (C). Para isso, há uma escala de notas para cada acorde onde serão extraídas as notas para os determinados acordes (maiores, menores e dissonantes).

TOM ou TONALIDADE refere-se a uma escala de valores que selecionam os acordes que tenham relação entre si para formar a seqüência deles nas músicas. Por exemplo, cada acorde tem uma escala onde se encontram as notas que tem relação com ela, essas notas são como seus parentes (notas primas) e a partir dessa escala, formam-se os acordes relativos ? sua tonalidade. Trataremos disso em um capítulo posterior “Noções básicas sobre escalas e formação de acordes”.

?
Esse curso de violão foi desenvolvido por Violão Brasil, todos os direitos reservados! Para maiores informações, aulas de violão ou apostila de violão envie-nos um e-mail solicitando o seu tutorial de violão e receba inteiramente grátis 7 dias de aula de violão

6 comentários:

  1. Eu sei que já falei sobre isso anteriormente, mas agora estou um pouco mais experiente no assunto e quero compartilhar algumas coisas.

    Eu estou aprendendo a tocar violão. Sempre gostei da ideia, sempre quis aprender, mas nunca botei a mão na massa. Este ano decidi que ia aprender. Consegui um violão emprestado, peguei umas dicas aqui e ali, visitei alguns sites e comecei a fazer barulho (para o desespero dos vizinhos). Durante o processo, percebi algumas coisas sobre a arte de tocar violão:

    1 – Dói só até criar os calos e se acostumar com eles.

    Digo, nas pontas dos dedos. E isso acontece de tanta força para apertar as cordas. Mas é só no começo, depois vai embora. Pelo menos para mim exigiu um tremendo esforço, concentração, coordenação e força de vontade.

    2 – No começo é 20% de teoria e 80% de prática. Depois é 99% de prática.

    Música e violão têm muita teoria e até matemática, mas não adianta ficar horas e horas lendo. É preciso criar os calos nos dedos, ficar íntimo do violão, aprender a primeira música bem a ponto de ter orgulho (ou coragem) de tocar para os amigos e, finalmente, aprender um repertório grande o suficiente para não ficar mais enjoado dos mesmos acordes.

    3 – É difícil enxergar as melhorias do dia, mas do mês é fácil.

    Tiveram dias em que foi difícil continuar praticando. Os dedos doíam e eu não tinha visto uma melhoria sequer. Às vezes achava até que tinha desaprendido o pouco que sabia. Mas a teimosia (“determinação” está muito desgastada) me fazia continuar, e sempre que eu lembrava como tocava há 3 ou 4 semanas atrás, aí sim eu via a diferença.

    E o quê tudo isso tem a ver com empreendedorismo?

    Leia (e tente entender) somente os títulos dos itens acima pensando não sobre aprender violão, mas sobre empreender. Quando terminar continue o texto…

    No primeiro item, entenda dor como desconforto. Sair da zona de conforto implica, necessariamente, em desconforto. Mas logo isso deixa de ser um desconforto e passa a fazer parte da sua zona de conforto, agora ampliada.

    No segundo item, não leve os números tão a sério (eu chutei eles), mas entenda que só teoria não vai adiantar. Você vai estudar um pouco o mercado que está entrando, vai planejar um pouco sua empresa e então vai tirar a bunda da cadeira. As próximas teorias que você buscará serão para saber como resolver determinado problema que você está tendo no momento. A partir daí as coisas vão fluindo mais naturalmente.

    No terceiro item, no caso de empreender, considere um pouco mais de tempo. Talvez você não veja melhorias em um mês, mas em 3 ou 4 vai perceber, se estiver se dedicando (e está?).

    ResponderExcluir
  2. Olá Gabriel, gostei bastante do seu post. aprende bastante!
    Gostaria, caso puder, que vc me enviei um pouco mais de conteúdo rsrs
    esse mesmo de “Noções básicas sobre escalas e formação de acordes”.
    Grato Luan

    E-mail: luansillver@hotmail.com

    ResponderExcluir
  3. Olá professor Gabriel,
    achei o máximo esse -blog- já procurei muitos para entender um pouquinho sobre musica pois eu sou apaixonada. Espero aprender muito com suas aulas porque a forma com você explica faz parecer mais fácil de aprender. valeu mesmo!

    ResponderExcluir
  4. Obrigado pela partilha!!!Muito boa matéria!!!

    ResponderExcluir
  5. Obrigado pela partilha!!!Muito boa matéria!!!

    ResponderExcluir
  6. Muito bom!
    Também sou apaixonado pela arte da música, e o barato disso é que quando você sí dá conta que já sabe alguma coisinha, quer saber mais e mais...
    E para quem não sabe disso, o conhecimento do instrumento é infinito, ou seja temos um longo caminho pela frente.
    Meu conselho para quem está querendo aprender a tocar: vá firme parceiro(a) pois esse pode ser um dos conhecimentos mais extraordinário que você pode ter em sua vida...
    Ninguém pode roubar isso de você, e outra coisa, você nunca se sentirá sozinho, porque a música é a solidão, não convive em harmonia, hummm, entendeu!? (Harmonia) rsrs...

    ResponderExcluir